Levei minha Filha pra conhecer um Motel

Publicado por: cesar em 12/02/2018
Categoria: Incesto Hetero
Leituras: 14131 / Votos: 1 / Comentários: 0

Meu casamento já não andava bem, e quando minha mulher disse que ia viajar por um mês com uma amiga na Europa eu até achei bom as férias conjugais, só que minha filha Rose me contou no dia seguinte à partida da mãe que ela ia fazer uma surpresa no aeroporto e aparecer para se despedir de minha mulher na partida, mas de longe notou que não tinha amiga nenhuma, e sim que a mãe ia é viajar com um amante com o qual já estava aos beijos no check in do aeroporto. Minha filha voltou zangada pra casa e disposta a armar uma pra cima da mãe. Não me contou nada naquele dia.
.
Uma semana depois Rose fez 18 anos e eu lhe perguntei o que que ela desejaria de presente de aniversário e minha filha me respondeu que seu maior desejo era conhecer um motel bem bonito pois nunca tinha estado num, e queria fazer isso em estilo gringo, isto é, só falaríamos em inglês como se fôssemos turistas.
.
Achei a ideia engraçada e resolvi cooperar, afinal que mal teria tomar um banho de piscina com minha filha num motel. Escolhi o Vip's aqui no Rio, que tem uma vista linda pro mar e acomodações muito bonitas.
.
Chegando lá ela me disse que ia se preparar para a piscina e sumiu no banheiro e eu me refestelei numa daquelas espreguiçadeiras de motel e fiquei lendo meu laptop. Me surpreendi quando ela surgiu do banheiro vestida com uma lingerie da mãe e me perguntando se ela estava gostosa a ponto de despertar tesão num homem maduro. Pensei que fosse brincadeira e acariciei suas pernas com carinho.
.
Ela então me montou na espreguiçadeira e pediu para eu dar um beijinho na bucetinha dela por cima da calcinha. Eu disse que eu não iria fazer aquilo pois era incesto, mas ela insistiu e sussurrou que minha mulher estava me traindo e que eu podia dar o troco e que ela ajudaria. Fiquei pasmo, zangado e de repente com tesão e resolvi brincar com minha filha. Beijei-lhe o ventre por cima da calcinha, e quando ela se sentou sobre mim, acabamos dando um dos melhores beijos que já dei na minha vida. Não sei de onde que minha filha tinha aprendido a beijar tão gostoso.
.
Ela então me induziu a tirar o soutien dela e a chupar seus lindos peitinhos empinadinhos. Depois minha filha tirou meu pau pra fora da calça e começou a punhetá-lo de uma maneira gostosíssima. Fiquei matutando onde isso iria dar, pois não tencionava penetrar de verdade minha própria filha.
.
Rose então começou a me pagar um boquete que assim como o beijo, foi idílico. Sua boca parecia uma luva no meu pau, que naturalmente ficou mais duro que mármore. Aí ele me pediu o troco. Perguntei o que era, e ela disse que queria que eu chupasse sua bocetinha como ela tinha visto eu fazer com a mãe dela uma vez pela fresta da porta do nosso quarto que ficou entreaberta. Não consegui mais frear meus instintos e a coloquei de barriga pra cima na espreguiçadeira, tirei sua mini-calcinha e me pus a minetear aquela xoxotinha juvenil ao mesmo tempo em que explorava seus buraquinhos com meus dedos. Ela já estava bem melada e os dedos entravam fácil.
.
Então ela pediu: Encosta teu pau por fora na minha rachinha e rala ele pra cima e pra baixo. Eu ainda disse: Mas não vou enfiar não, menina safada. Comecei ralando o pau na xota dela, mas ela deu um jeito de corpo e quando vi já estava com o pau dentro e ela delirando. Fudi um pouco mas fiquei com receio de gozar e talvez engravidá-la, e tirei fora.
.
Então ela disse: Meu último pedido, pai. Me chupa o cuzinho como você faz com a mamãe ? A safada estava nos vendo regularmente pela fresta ou fechadura da porta do nosso quarto.
.
Coloquei Rose de bruços sobre a espreguiçadeira e apreciei seu cuzinho novinho com todas as preguinhas ainda no lugar e piscando pra mim. Lambi, rodeei o ânus, enfiei a língua dentro do cu da minha filha e não aguentei, pois era o que ela queria. Queria mesmo que o pai lhe enrabasse e gozasse farto dentro da bunda. E foi o que eu fiz. E não me arrependo. Demos juntos o troco na traição da mãe.
.
Gostaria de ler os comentários dos leitores, apesar de saber que muitos são contra incesto, mas este não fez mal a nenhum de nós dois.


Comentários

Seja o primeiro a comentar nesse conto